5 maiores erros de quem começa a empreender

5 maiores erros de quem começa a empreender

Saiba quais são os maiores erros de quem começa a empreender, mude e não coloque seu novo negócio em risco!

0
COMPARTILHE
erros de quem começa a empreender o masculino
É preciso conhecer os erros para não cometer e atingir o sucesso no seu negócio. Foto: Shutterstock

Como já foi dito por aqui, não é fácil decidir empreender e alcançar o sucesso no mundo dos negócios. É difícil, mas não é impossível, tendo em vista que dependerá muito das suas decisões em relação ao que será feito a partir do momento que decidiu abrir um negócio. Acontece que algumas ações podem tornar este caminho ainda mais complicado – ou mesmo impossível – levando à frustração ou fracasso.

Leia também: 

5 motivos para empreender hoje

7 dicas para quem quer empreender

Organização pessoal: transforme sua vida já!

Se você não quer fazer parte das estatísticas negativas no mundo do empreendedorismo, fique atento aos maiores erros de quem começa a empreender e não erre. As informações são de Fernanda Peris, que é Master Executive e Business Coach, além de palestrante, escritora e membro da Sociedade Brasileira de Coaching.

Os 5 maiores erros de quem começa a empreender

1 – Vitimização. Um dos principais erros cometidos por quem deixa a vida de funcionário e começa a empreender é achar que o mundo, o governo, as pessoas, os clientes… lhe devem algo. Não, eles não lhe devem nada. E se você não for muito bom, legal, bacana, não, você não atingirá seus resultados. Então o primeiro passo é parar de reclamar. Deixa isso para quem depende de pessoas nas quais elas colocaram suas vidas nas mãos. Liberdade tem um preço e esse preço é responsabilizar-se por tudo. Pelo sucesso e pelo suposto fracasso. Sem reclamar, sem ficar pensando em “como o mundo é injusto”, sem entrar na onda do mimimi, você tem que ser CAUSA. Se você entra nessa onda da vitimização, perde energia e começa a desistir. Afinal, se você acha que está tudo errado e que alguém te deve algo, sugiro que desista de empreender e abra alguma associação que defenda direitos de alguma coisa (risos).

Fernanda Peris2 – Querer mudar o mundo, mas não mudar a si mesmo. Todos os recursos que você tem e que te levaram até onde você está, não são mais úteis para te levar ao novo patamar. Fato. Você pode ter vencido grandes batalhas, ter se superado incrivelmente, e isso é ótimo. Parabéns. Mas se você quiser jogar outro jogo em outro nível, você precisa mudar de novo, mais uma vez, e mais uma vez. Afinal, se você já tivesse recursos internos para estar onde deseja , você já estaria lá, certo? Então, cresça e se desenvolva. Genuinamente. Sempre.

3 – Não enxergar seus pontos cegos. Existem empreendedores que sabem o que precisam mudar, mas não mudam. Ok. Esses entram na categoria de Einstein, que diz “Insanidade é querer resultados diferentes fazendo o que sempre fez”. Mas a verdade é que a grande maioria não é insana, eles simplesmente não sabem. Não enxergam. O que faz você falhar no seu negócio na maioria das vezes não se trata do que você não sabe, mas do quanto ou daquilo que você “não sabe que não sabe”. São os pontos cegos. Se você já tentou várias alternativas para atingir determinados resultados e já está chegando ao ponto de se cansar, comece a se perguntar se você não está com um baita ponto cego. E um ponto cego é como entrar numa canoa ir para o mar e não saber que existe ou precisa de remo. Não importa o quanto você se esforce, nade ou se mexa. Simplesmente não vai funcionar até que você descubra o ponto que vai realmente fazer a diferença.

4 – Não pedir ajuda.  Essa chega ser clichê. Embora seja você que decide tudo no seu negócio, você pode decidir ter ajuda. Alguns empreendedores têm uma síndrome de super-herói e acham que conseguem fazer tudo sozinhos. A verdade é que quando compartilhamos com outros empreendedores ou contratamos um profissional, ou até mesmo entramos em grupos de apoio, o salto é brutal. E por que isso acontece? Por causa dos pontos cegos. Você pode não ver o seu ponto cego, mas uma pessoa certa do lado de fora certamente o verá com muita clareza.

5 – Pedir ajuda à pessoa errada. Então… aqui chegamos em um ponto crucial. Embora qualquer pessoa possa te ajudar em algum aspecto da sua vida, nem todas as pessoas vão conseguir te ajudar naquele ponto específico do seu negócio. Ou no seu ponto cego. Em que área do seu negócio você precisa de ajuda? Liderança? Mindset? Mentalidade empreendedora? Emocional? Estratégico? Não importa. Procure pessoas que já tenham resultados nessa área, profissionais que trabalhem com isso, ou algum amigo que já tenha passado pela situação. O que a brutal maioria faz? Pede ajuda sempre para os mesmos amigos ou familiares, que normalmente não têm estrutura para ajudar porque estão no mesmo nível ou mais baixo do que você.  Aqui você precisa ir na jugular. Seja prático. A ajuda que você precisa tem que ser com alguém que você ache realmente bom naquela área. Ponto. Menos do que isso você terá uma lista de achismos ou no máximo, uma boa conversa de bar. E o problema continuará lá.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA