Não use o nome “puta” em vão

Não use o nome “puta” em vão

Passou da hora de discutir a ideia de que toda mulher que gosta de sexo é puta. Leia e entenda isso de uma vez por todas!

3
COMPARTILHE
puta o masculino
Antes de chamar uma mulher de puta você precisa aprender a separar melhor as coisas. Foto: Shutterstock

A palavra “puta” é um substantivo feminino para se referir às profissionais do sexo, em linguagem vulgar do uso corrente da língua portuguesa no Brasil. Então, amigo, se ela ‘deu’ para você, de graça, mesmo que apenas por algumas horas, mesmo que de forma intensa, mesmo que você nunca mais a veja, mesmo que ela tenha dado para tantos outros antes e depois de você, desculpa, mas ela não é puta.

Ela se deixou fotografar sem roupa em poses ousadas ou, quem sabe, achou excitante a ideia de filmarem aquela posição que levou você à loucura? Ok. E quanto foi o cachê? Ah, a gostosa nem cobrou? Lamento informá-lo, mas ela também não é puta.

A moça topou realizar aquela sua fantasia sexual super ousada? Nossa, deve ter custado uma grana essa festinha, hein? Ah, o senhor sequer abriu a carteira e tampouco entregou três notinhas de cem na mão da mulher – ou mulheres – que te acompanhou (ou acompanharam)? Garoto, sinto decepcioná-lo outra vez, mas… ali não tinha nenhuma puta não.

puta o masculino
Uma mulher não deve ser rotulada como puta apenas por gostar de sexo ou buscar o prazer. Foto: Shutterstock

Quem é puta?

A coluna um tanto didática de hoje é uma manifestação contra esse comportamento terrível, usual em nossa sociedade, de tentar desqualificar uma mulher, rotulando-a de prostituta, simplesmente porque ela faz sexo sem ser para procriação e sem cobrar nada.

Ao mesmo tempo, também é uma maneira de dizer às mulheres que elas não deveriam ficar ofendidas ao serem chamadas de puta. Eu sugiro a simplesmente responderem: ‘não sou puta não, fiz tudo de graça’. Dá certo, acredite.

Porque assumir que se faz sexo por prazer e tratar um tabu de forma natural é a arma mais poderosa para destruir o instinto perverso do preconceituoso. E os homens também podem dar essa resposta para defenderem suas mulheres “Ela está longe de ser puta, brother. Faz tudo isso comigo porque é bom e a gente curte’. E ponto final.

Até porque é uma injustiça inclusive com as prostitutas. Todos nós sabemos que existem mulheres que vendem seu corpo e ‘serviços’ relacionados ao sexo. Também há homens que fazem isso, mas o machismo torna o xingamento no feminino sempre mais ofensivo.

puta o masculino
Mulheres e homens devem enxergar o desejo sexual de maneira mais natural e com menos preconceito. Foto: Shutterstock

Existem homens que pagam por isso e, não havendo exploração de terceiros e sendo algo consensual, deve ser respeitada a profissão mais antiga do mundo. E nunca ser considerada como algo pejorativo.  Tenho ouvido homens – e pior ainda, também ouço mulheres – se referindo a alguém como ‘puta’ por motivos muito inadequados.

Pelo simples fato de a mulher ter um relacionamento com um homem casado, ou por ter ido para a cama com dois caras, ou por ter fotos eróticas divulgadas na internet porque um desqualificado resolveu expor sua intimidade, ou porque usou saia curtíssima com bota ou salto alto, ou por estar com um decote que é ‘praticamente uma intimação’.

Costumo rebater com as seguintes perguntas: ‘puta por quê? Ela está cobrando alguma coisa? E, se estiver cobrando, o corpo não é dela?’

Já está mais do que na hora de aceitarmos a liberdade sexual das mulheres sem ofensas. Porque não existe coisa melhor do que quando o desejo feminino encontra-se com o tesão masculino e, a partir dali, se estabelece uma deliciosa relação de prazer.

puta o masculino
Tanto os homens quanto as mulheres têm o direito de escolher aquilo que lhes dá mais prazer. Foto: Shutterstock

E se você achar que a moça é ousada demais, exibicionista demais ou qualquer outra coisa, é seu direito. Simplesmente não saia mais com ela, diga que não gosta e pronto. Talvez possa até aproveitar a chance e procurar identificar em si próprio onde estão escondidas suas barreiras e repressões.

Mas nunca, NUNCA, rotule ninguém por estar fazendo alguma coisa que seja contra a sua ideia de certo e errado (e, antes que alguém confunda, reforço que vale tudo em sexo desde que exista CONSENSO, então, estupro, pedofilia e sexo com animais são crimes e nada tem a ver com o que estou falando).

O que não dá mais é, a esta altura do século XXI, uma mulher ser chamada de puta por ser libertina, exibida ou assumir gostar de sexo. Essa mulher pode ser qualquer coisa. Desde uma iludida em busca do amor, que se entrega sexualmente ao cidadão como uma arma, talvez equivocada, para conquistar o sentimento. Ou apenas alguém a fim de sentir prazer. Ou alguém a fim de saciar uma vontade de experimentar, de testar seus limites.

Os homens deveriam festejar o comportamento devasso das mulheres na cama e não tentar as insultar ou denegri-las. Afinal, são eles os que mais ganham com isso. E, definitivamente, não há nada de profano em uma mulher gostar de sexo e mostrar isso.

3 COMENTÁRIOS

  1. você é foda mesmo hein Ana Paula… acabei de ler Todo europeu é viado que gosta de … e agora tô aqui, de boca aberta lendo tanta verdade escrita de uma maneira tão gostosa de se ler. Nossa… prazer… ass: mais nova fã!

  2. Matéria pra todos os machistas e mulheres invejosas. Eu fodo por prazer e muito e sempre digo q n sou puta. Sou mulher livre. Muita gente preconceituosa fala merda na internet e todo mundo gosta d rotular mulher bonita e ativa sexualmente de puta. Desinformados e preconceituosos. deixem as pegadoras em paz! Parabéns pela materia.

DEIXE UMA RESPOSTA