Ê lá em casa!

Ê lá em casa!

A favor do sexo caseiro

0
COMPARTILHE
em casa o masculino
É preciso quebrar alguns paradigmas sobre sexo após anos de relacionamento. Foto: Shutterstock

Existe uma máxima – ao meu ver muito injusta – que diz “quer parar de fazer sexo? Case-se e tenha filhos!”. Não, meus chuchus, não precisa ser assim.

Leia também:

Sexo no café da manhã (ou sexo matinal)

Suruba no asilo é um interessante projeto de velhice feliz

Enquanto houver sexo, não preciso de Prozac

Teoricamente a sociedade já me invalidaria a dar qualquer tipo de opinião apenas pelo fato de eu não ter filhos e ser divorciada. Não fosse eu uma observadora a argumentar e arguir sobre o comportamento humano, nem atrever-me-ia a escrever aqui. Por isso segurei em frente.

Não gosto de me meter na vida de ninguém. Cada um tem seu ritmo, cada qual reage a seus próprios estímulos, mas vamos combinar que certas coisas não devem ser tomadas como verdade.

Mesmo quando estamos a fim de ficarmos em casa largadões, com cabelo despenteado ou bermuda velha, por favor, não é isso que ‘tira o tesão’.  Primeiro que não fazemos isso toda hora, assim como não ficamos montados no terno e nem no salto e maquiagem o tempo todo.

Segundo porque tesão é um conjunto de signos e significados muito além da bunda Photoshop da modelo no outdoor ou do que vem a seguir do abdômen sarado do Paulo Zulu.

Fetiche é bom. Nudes também são excitantes. Mas aquele cheiro de tempero caseiro, carregado de momentos construídos em alicerces como cumplicidade, barras enfrentadas, alegrias compartilhadas e intimidade desenvolvida são complementes para lá de eróticos também.

Eu vejo assim.

Quando aquele ser humano com quem já construímos uma história sai do banho, sem maquiagem ou exibindo a barriguinha de uma vida mais sedentária, cheirado a sabonete Phebo, na boa, tira a concentração.

É gostoso pacas olhar para o companheiro ou companheira de vida e ainda soltar um suspiro e pensar: “Ê, lá em casa” ou “Hum. Eu comia”. E imediatamente depois se dar conta: “epa! Ele(a) está lá em casa!” ou “já comi muito e posso comer ainda mais!”.

Então, meus chuchus, aproveitem o que se têm em casa. Ir a um restaurante é legal, mas quando a comida caseira é de qualidade, não há tempero melhor… Valorizem!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA